12 de mai de 2011

JAGUARIÚNA | Rodeio com consciência ecológica

O 'Universo Bem Me Quer', em 4 anos de atuação, atingiu a marca de quase 100 toneladas de lixo recicláveis coletados e destinados de forma correta em grandes festas do universo country. Em 2011, o projeto de consciência ambiental espera dobrar a marca alcançada até hoje. Serão 10 etapas durante todo o ano. A primeira foi em Londrina, na ExpoLondrina 2011. Depois de passar por Ribeirão Preto, é a vez de Jaguariúna contribuir para a coleta seletiva e destinação correta do lixo.


Segundo a assessoria de imprensa, a cada dia  o 'Universo Bem me Quer' vem ganhando força e credibilidade junto aos organizadores de grandes eventos. Londrina foi um exemplo vencedor, conseguimos coletar mais de 20 toneladas de recicláveis e fazer o gerenciamento de todo o lixo produzido durante os 11 dias de evento. Uma marca que o Universo Bem me Quer ainda não havia alcançado.

Além da coleta e gerenciamento de todo o lixo, o 'Universo Bem Me Quer' atuou na inclusão social de deficientes intelectuais. Pela primeira vez, em parceria com a ONG- Associação Para o Desenvolvimento Educação e Recuperação do Excepcional Adere, a outra ponta da coleta seletiva foi mostrada. "De um lado tinha a coleta seletiva e do outro artesanato feito por deficientes a partir do lixo coletado, como por exemplo, trançados de fio de pet e bandejas de copos descartáveis. A inclusão social destes membros da sociedade - catadores e deficientes - no mercado de trabalho, mostra a abrangência que o 'Universo Bem me Quer' representa", explica Renata Molezim, superintendente do Instituto de Compromisso com o Desenvolvimento Humano (ICDH), realizador do projeto.

O 'Universo Bem me Quer' atua diretamente em beneficio do catador de lixo, fazendo a transformação destes profissionais em agentes ambientais para propagar a conscientização da coleta e do descarte correto do lixo. "O olhar é para o agente ambiental. Procuramos trabalhar com a auto-estima e qualidade de trabalho para assim desencadear uma coleta satisfatória", salienta Renata Molezim.

11 de mai de 2011

VILA MADALENA | Soul Boogie Orchestra no The Orleans

Apresentação acontece no dia 13 de maio às 23h


Jazz, Blues, Boogie Woogie e Swing caracterizam o trabalho da Soul Boogie Orchestra, que interpreta os maiores clássicos destes gêneros. O repertório faz com que os fãs de Elvis Presley, Ray Charles, James Brown e Frank Sinatra se sintam nos salões de dança dos grandes bailes comandados pelas Big Bands das décadas de 30, 40 e 50. Caracterizados de mafiosos, a Soul Boogie Orchestra proporciona ao público um show repleto de balanço com arranjos inovadores que tornam a música mais dançante e popular. As releituras de “The Commitments, Brian Setzer, Big bad voo doo dad e Blues Brothers aparecem com uma nova roupagem e até a banda Metallica ganha uma versão boogie woogie.

A direção musical é de João Zambuzi e a banda conta com mais nove músicos: Erik Barbi (vocal), John Fire (contrabaixo acústico), Richard Leão (bateria), K.Fabian (guitarra), Pézão (trombone), Anderson (trompete), Tipinho (trompete), Edi (sax barítono), Fabio Floriano (sax tenor).

Serviços The Orleans
Soul Boogie Orchestra - 13/05
Quanto: R$ 30,00
Rua Girassol, 398 - Vila Madalena
São Paulo - SP - (11) 3031.1780
e-mail The Orleans
Site The Orleans

Horário de funcionamento
De seg a domingo, a partir das 18h
Show: 23h
Valet Parking: R$ 15,00
Cartões de Crédito: Diners, Amex, Visa, Mastercard
Cartões de Débito: Visa, Maestro, Redeshop

SESC POMPEIA | Músicos holandeses se apresentam no Jazz na Fábrica

Extensa lista de atrações preparada pelo governo holandês para 2011
promete aproximar ainda mais as relações entre Brasil e Holanda

As várias vertentes do jazz, do tradicional, experimental e o free jazz, até as fusões com a música pop, eletrônica e música brasileira serão apresentadas durante o festival de jazz do Sesc Pompeia (rua Clelia, 93). O Jazz na Fábrica terá encontros inéditos de bandas paulistas com estrangeiras, entre elas André Marques Sexteto e Blazin’ Quartet da Holanda e Bodes e Elefantes e Knalpot. A vinda dos grupos ao país faz parte da agenda de atrações em comemoração ao Ano da Holanda no Brasil. Eles se apresentam dias 19 e 20 de maio.

Donos de uma perfomance eclética, os jovens músicos do Blazin’Quartet são famosos por fazer jazz brincando com sonoridades da música eletrônica e se utilizam das mais variadas referências que na ausência de um piano ou qualquer instrumento harmônico em sua formação, abre espaço para incursões eletrônicas e loops.

As apresentações mostrarão o repertório de seu primeiro CD, “Finding a Way”, e do novo trabalho (gravado com o guitarrista e vocalista iugoslavo Rambo Amadeus), que deve ser lançado ainda este ano. Blazin’Quartet foi revelado ao público em festivais e competições, como Dutch Jazz Competition, Holland Casino Jazz&Pop Award, North Sea Jazz Festival 2008, Jazz-A-Palooza, Novi Sad Jazz Festival (Sérvia). Com João Driesse (T.Sax, EWI), Michael Rörby (trombone), Mihail Ivanov (baixo), Srdjan Ivanovix (bateria, percussão e loops).

A dupla eletrônica Knalpot, de Amstendan, é formada pelo guitarrista franco alemão Raphael Vanoli e pelo baterista austríaco Gerri Jäger. Influenciados por artistas como Chris Clark, Christian Fennesz, Jonny Greenwood, Mohawke Hudson, entre outros, o duo produz música eletrônica sem a utilização de computadores. Cada faixa é uma arquitetura cuidadosamente esculpida e trabalhada com virtuosismo e determinação.

Atrações do “Ano da Holanda no Brasil”

Da arte ao esporte, passando por assuntos de tecnologia, de política e econômicos, uma ampla agenda de eventos está programada pela embaixada e consulados-gerais da Holanda no Brasil para celebrar o ano. Foram preparadas diversas atrações previstas para acontecer ao longo do ano e prometem aproximar ainda mais as duas culturas.

Em junho, os brasileiros terão a oportunidade de conhecer um pouco mais de perto a música clássica holandesa com as apresentações da orquestra Filarmônica de Roterdã que acontecerão no Rio de Janeiro e São Paulo.

Em julho será a vez da companhia de dança Introdans. Com 40 anos de existência, o grupo de dança moderna é um dos mais aclamados da Europa, chegando a reunir em cada turnê um público de 90 mil pessoas, com espetáculos realizados adultos e crianças. As apresentações acontecerão no Teatro Nacional de Brasília, nos dias 1 e 3 de julho.

Dois grandes espetáculos abriram as festividades, em março passado. O grupo artístico FlyingArtwork, comandado pela bailarina, acrobata e contorcionista holandesa Juliette Dormaar que, após fazer parte da equipe do ‘Cirque Du Soleil’, decidiu voltar a sua terra natal e criar sua própria companhia. E o concerto do pianista de jazz holandês Michiel Borstlap no Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo que, famoso por mesclar diferentes estilos de jazz e tido como excêntrico por suas composições e interpretações, Borstlap, aos 44 anos, é hoje um dos músicos mais prestigiados da Europa.

Serviço
Sesc Pompeia (rUa Clelia, 93)
Blazin’ Quartet
Dia 19/05 (quinta-feira)
Horário: 21 horas - teatro
Knalpot
Dia 20/05 (sexta-feira)
Horário: 21:30 horas - choperia
De R$ 4,00 a R$ 16,00
Idade: 12 anos

ZONA LESTE SP | "Sexta do Improviso" com jazz cubano de Yaniel Matos Trio

A Faculdade Cantareira promove o projeto "Sexta do Improviso", com a apresentação do grupo de jazz Yaniel Matos Trio. O evento ocorre nesta sexta-feira, dia 13, às 12h30, no Estúdio da Faculdade Cantareira, no bairro do Belém, em São Paulo. O grupo é formado pelo jazzista cubano Yaniel Matos (piano), Sidiel Vieira (baixo) e pelo baterista norte-americano Bob Wyatt, idealizador do projeto e coordenador de Prática de Conjunto da Faculdade Cantareira.

O projeto Sexta do Improviso é formado por músicos profissionais e alunos do curso Superior de Música da Faculdade Cantareira e dedica toda segunda sexta-feira de cada mês para grupos consagrados que seguem a tradição dos grandes improvisadores de jazz e da MPB instrumentral.

O Estúdio Cantareira oferece condições para o atendimento e gravação externa dos mais variados gêneros musicais, do popular ao erudito. O espaço é composto por com tratamento acústico e isolamento sonoro, piano de cauda, microfones para qualquer tipo de captação e equipamentos de alto padrão. O espaço abriga 250m² que inclui recepção, administração, almoxarifado, sala de pré-produção, produção, técnica e gravação.

Entre os artistas que utilizaram o Estúdio estão: Aquiles Priester, Quaternaglia, Alessandro Penezzi, Luizinho 7 Cordas, Djalma Lima, Michel Leme, Quarteto de Cordas Camargo Guarnieri, Orquestra Histórica do Brasil, Camilo Carrara, Agnaldo Rayol, Mário Zan e Chico Pinheiro, Escola de Samba X-9, Elisa Fukuda, Camerata Fukuda, Inezita Barroso, entre outros.

Anote!
Evento: Sexta do Improviso com Yaniel Matos Trio
Data: 13 de maio (sexta-feira)
Horário: 12h30
Local: Estúdio Cantareira
Endereço: Faculdade Cantareira - Rua Marcos Arruda, 729, bairro do Belém - São Paulo
Faculdade Cantareira

Sobre Yaniel Matos
Formado em composição pelo Instituto Superior de Arte, em Havana, Yaniel Matos estudou com Winton Marsalis e Anthony Hard. Foi pianista e arranjador de algumas das melhores bandas de música cubana contemporânea, como Isaac Delgado, Chucho Valdes, Orlando Valles Maraca. Residente no Brasil, desde 2000, Matos atuou ao lado de nomes consagrados da música brasileira, como Carlinhos Brown, Angra, Timbalada, Heartbreak, Jane Brunnett, Lenine, Los Jubilados, Antonio Pinto, Rosário Flores, entre outros.

Atualmente, Matos toca com Kiko Loureiro, no "Cuba Jazz Plus", quinteto de jazz contemporâneo formado pelos jazzistas cubanos: Yosvany Terry (sax), Dafnis Prieto (bateria), Yunior Terry (baixo) e Julio Padron (trompete). Yaniel Matos acaba de gravar seu primeiro disco solo "En Movimiento" com um sexteto formado por grandes músicos paulistanos, como Cuca Teixeira.